__________________________________Direitos autorais: Autorizada reprodução dos textos, desde que citada a fonte.

31 de mar de 2011

Depois que você se foi

O mundo todo perdeu a cor,
As flores perderam o cheiro,
Os doces perderam o sabor.
E agora, o céu tento alcançar,
Para lá de cima...
Poder te enxergar.
Mas o tempo se fechou,
O luar desapareceu,
As estrelas perderam o brilho,
E tudo se apagou.

Aut. Loyanne Freire


Não sei em que estava pensando ao escrever esse poeminha, foi em 2005.
Não há tanto nexo assim, tô encontrando varios sentidos pra ele agora.
O que antes me fazia um sentido, hoje me mostra varios outros.
Pode ser tudo sempre igual, mas nem sempre enxergaremos da mesma maneira.

Loyanne Freire

Eterno

Guigui

"Saudade... Já não sei se é
  a palavra certa para usar.
Ainda lembro do seu jeito..."

Acredite!
Cada detalhe.


Loyanne Freire

29 de mar de 2011

Racismo é burrice


 
Salve, meus irmãos africanos e lusitanos, do outro lado do oceano
"O Atlântico é pequeno pra nos separar, porque o sangue é mais forte que a água do mar"
Racismo, preconceito e discriminação em geral;
É uma burrice coletiva sem explicação
Afinal, que justificativa você me dá para um povo que precisa de união
Mas demonstra claramente
Infelizmente
Preconceitos mil
De naturezas diferentes
Mostrando que essa gente
Essa gente do Brasil é muito burra
E não enxerga um palmo à sua frente
Porque se fosse inteligente esse povo já teria agido de forma mais consciente
Eliminando da mente todo o preconceito
E não agindo com a burrice estampada no peito
A "elite" que devia dar um bom exemplo
É a primeira a demonstrar esse tipo de sentimento
Num complexo de superioridade infantil
Ou justificando um sistema de relação servil
E o povão vai como um bundão na onda do racismo e da discriminação
Não tem a união e não vê a solução da questão
Que por incrível que pareça está em nossas mãos
Só precisamos de uma reformulação geral
Uma espécie de lavagem cerebral

Racismo é burrice

Não seja um imbecil
Não seja um ignorante
Não se importe com a origem ou a cor do seu semelhante
O quê que importa se ele é nordestino e você não?
O quê que importa se ele é preto e você é branco
Aliás, branco no Brasil é difícil, porque no Brasil somos todos mestiços
Se você discorda, então olhe para trás
Olhe a nossa história
Os nossos ancestrais
O Brasil colonial não era igual a Portugal
A raiz do meu país era multirracial
Tinha índio, branco, amarelo, preto
Nascemos da mistura, então por que o preconceito?
Barrigas cresceram
O tempo passou
Nasceram os brasileiros, cada um com a sua cor
Uns com a pele clara, outros mais escura
Mas todos viemos da mesma mistura
Então presta atenção nessa sua babaquice
Pois como eu já disse racismo é burrice
Dê a ignorância um ponto final:
Faça uma lavagem cerebral

Racismo é burrice

Negro e nordestino constróem seu chão
Trabalhador da construção civil conhecido como peão
No Brasil, o mesmo negro que constrói o seu apartamento ou o que lava o chão de uma delegacia
É revistado e humilhado por um guarda nojento
Que ainda recebe o salário e o pão de cada dia graças ao negro, ao nordestino e a todos nós
Pagamos homens que pensam que ser humilhado não dói
O preconceito é uma coisa sem sentido
Tire a burrice do peito e me dê ouvidos
Me responda se você discriminaria
O Juiz Lalau ou o PC Farias
Não, você não faria isso não
Você aprendeu que preto é ladrão
Muitos negros roubam, mas muitos são roubados
E cuidado com esse branco aí parado do seu lado
Porque se ele passa fome
Sabe como é:
Ele rouba e mata um homem
Seja você ou seja o Pelé
Você e o Pelé morreriam igual
Então que morra o preconceito e viva a união racial
Quero ver essa música você aprender e fazer
A lavagem cerebral

Racismo é burrice

O racismo é burrice mas o mais burro não é o racista
É o que pensa que o racismo não existe
O pior cego é o que não quer ver
E o racismo está dentro de você
Porque o racista na verdade é um tremendo babaca
Que assimila os preconceitos porque tem cabeça fraca
E desde sempre não pára pra pensar
Nos conceitos que a sociedade insiste em lhe ensinar
E de pai pra filho o racismo passa
Em forma de piadas que teriam bem mais graça
Se não fossem o retrato da nossa ignorância
Transmitindo a discriminação desde a infância
E o que as crianças aprendem brincando
É nada mais nada menos do que a estupidez se propagando
Nenhum tipo de racismo - eu digo nenhum tipo de racismo - se justifica
Ninguém explica
Precisamos da lavagem cerebral pra acabar com esse lixo que é uma herança cultural
Todo mundo que é racista não sabe a razão
Então eu digo meu irmão
Seja do povão ou da "elite"
Não participe
Pois como eu já disse racismo é burrice
Como eu já disse racismo é burrice

Racismo é burrice

E se você é mais um burro, não me leve a mal
É hora de fazer uma lavagem cerebral
Mas isso é compromisso seu
Eu nem vou me meter
Quem vai lavar a sua mente não sou eu
É você.

Gabriel O Pensador

28 de mar de 2011

Sempre na memória.


“Muito tempo já se foi
Pouco tempo se parece
Uma vida inteira já se foi
Mas às vezes a gente esquece

Em um piscar de olhos
Tudo passa em nossas mentes
Alegrias, tristezas, derrotas.
Mas sempre andando pra frente

Como uma folha cai
Somente se Deus quiser
Assim também já vai
Porque é assim que o pai quer

E fica uma saudade
Nos restam as lembranças
Do tempo que aqui passou
E ficam os exemplos firmados na memória
O amor, a amizade eterna...”


Março de 2007, Jorginho e Romilson nos deixam.
Aqueles dois que jamais esqueceremos.
Dois amigos inesquecíveis.
Para sempre na memória.

Loyanne Freire

27 de mar de 2011

27/11/2006

1° Namorado.

Primeiramente queria que soubesse que esta carta é aquela que vivia me pedindo para escrever, pois então, um dia qualquer, lembrei de você e resolvi te escrever, para dizer tudo o que sinto por ti.
Quero pelo menos tentar expressar o quanto você é especial para mim nesta folha. Mas talvez seja impossível explicar o quanto gosto de ti.
Bem, irei começar mais ou menos assim:
Quando estou sozinha, releio palavras, frases e coisas que você me escreveu e me fazem lembrar de você. Nesses momentos as paredes são as únicas que me dão atenção, pois sei que ninguém irá nunca me entender, pois nem eu me entendo.
O que posso fazer se não consigo te esquecer?
Deve haver algo a mais pra se viver.
“Na minha luta eu cai, no meu timbre levantei, no meu choro eu morri e no seu sorriso ressuscitei.”
Mas com você aqui não dá, pois quando estamos juntos, quero ficar longe de você, e quando estamos separados, quero você, quando você vem aqui, sinto vontade de abraçá-lo, beijá-lo...
Responda-me: O que é que eu faço?
Não consigo entender meus sentimentos, por favor, ajude-me a decifrar esse enigma em mim!
Você não me deixa respirar, mas tudo passa depois, pois sei que gosto muito de você.
Sei que não vai acreditar, mas tudo o que fiz, foi para o seu bem, é que às vezes sou distraída de mais.
No espinho me feri e com meu sangue escrevi o meu ódio por você, mas eu não descontei em ninguém, pois a culpa foi minha.
Culpa de não me entender, culpa de te querer, culpa de ter te feito sofrer, culpa de te querer longe e ao mesmo tempo por perto, culpa de não saber que de quem eu sempre gostei foi e acho que será você.
Estou feliz agora do jeito que estou, mas sei também que falta uma lacuna a ser preenchida em meu ser.
Agora vou seguir sozinha, pois você não está aqui perto de mim.
Mas, não vá embora não, pois preciso de você.
Eu sei:
Tudo vai passar;
Mas apenas começamos, e acho que ainda deve haver algo a mais para se viver...
Pena que o que “sentíamos” um pelo o outro não tenha sido tão forte, mas saiba que durou o tempo necessário para se tornar inesquecível.

Aut. Loyanne Freire.

26 de mar de 2011

Melhor que seja do começo, ou melhor, dizendo... Do passado.

Aos meus 8, 9, 10 anos de idade, pensava em ser grande.
Aos meus 12, 13, 14, queria ser homem, pra eles pareceu sempre ser tudo tão mais fácil.
Nessa idade (12), foi onde tudo começou...
Escola, amizades, bebidas, cigarros, drogas...
De quase tudo conheci, mas nem tudo experimentei.
Uma coisa é certa, ninguém começa nada por influencia, e sim por se achar capaz de ser mais, ou melhor, que o outro, o ser humano é assim. Comigo não foi nada diferente.
Não, não! Isso não é um testemunho daqueles que chegaram ao fundo do poço e Gloria a Deus se ergueram, não. Foi apenas uma fase por qual passei. E onde aprendi muito. Conheci muitas pessoas, vi alguns se perderem, perdi alguns, e ajudei àqueles que aceitaram. Alguns nem sei onde andam, ou o que viraram... Mantenho contato com uns 5 ou 6, e os amo, fazem parte da minha historia.
Chegou o dia em que tive de me afastar, não completamente... Encantei-me (Paixonite adolescente), aos 13, 14... Gostei do que tinha visto, pedi para ficar (inicio da época “ficar”), ele me ligou no dia seguinte, pediu-me em namoro por telefone e em sequência pediu aos meus pais, “Q’VERGONHA” começou muito bem até que chegou a hora das loucuras do amor, ciúmes... Ele proibia tudo, resumindo, foi um tal de termina e volta que durou até os meus 18 anos, ele marcou muito minha vida, com ele aprendi de mais e ele comigo. Vai ser sempre o primeiro namorado.
Aos meus 19, pensei que seria feliz ao lado de alguém, e realmente seria se não tivesse sido trágico, se eu não o tivesse perdido, se ele não tivesse partido... Saudades “G”. Ele foi o grande amor da minha vida, em pensar que poderia ter mostrado tanto pra ele antes de sua partida, o quanto ele me fazia bem, o quanto o amei e amo. Mas ele sabe.
Conheci muitas pessoas nessa etapa também, as quais me ajudaram muito a passar por essa fase de perda. Mas os que mais me ajudaram, foram aqueles que já faziam parte do meu convívio, família e amigos que eu tinha (tenho) em comum com ele.
Foi uma das piores partes da minha vida, mas na qual aprendi a acreditar, que nem tudo é por acaso, e que se quando é da vontade de Deus, somos obrigados a aceitar.
Aos 20, uma outra peça... O garoto no qual eu mais odiava, achava metido e tal... Começou a falar comigo, engraçado, mas gostei do que comecei a enxergar nele, ficamos por um tempo, pouquíssimo tempo, não iria dar certo, tínhamos virado muito amigos, estávamos nos enganando, era apenas amizade. Um dos meus melhores amigos até hoje. Amo muito ele.
Com 21, comecei a trabalhar, fiquei 3 meses em cada empresa, foram 3 empresas... Será a maldição dos três? kkk Aproveitei muito meus 21, Sai tanto, me diverti tanto, conheci muitos lugares, muitas pessoas. Fase perfeita, da qual pretendo voltar a repetir, muitas e muitas vezes.
E finalmente agora, com meus 22 anos... Tá no começo ainda, mas já começou com decepção amorosa... Essa conto depois. Recente, e que ainda dói.
Querendo voltar a ser criança.

Aut. Loyanne Freire.